Berço de Afrodite

Ilha de Chipre

Encantos da Mitologia Grega

É a terceira maior e mais populosa ilha do Mar Mediterrâneo tem paisagens esplêndidas, com praias de águas calmas e cintilantes, ideais para as famílias com criança.

Membro da União Europeia desde 2004, o Chipre — localizado ao largo das costas de países como Turquia, Síria e Egito — é dono de cenários naturais para ninguém botar defeito. Praias de águas azul-turquesa, cercadas por montanhas, arrancam suspiros de quem passa por lá. A culinária rica e o show de história também transformam a ilha do Mediterrâneo em um destino imperdível.

Os elementos culturais europeus predominam no país que, geograficamente, se encontra na Ásia. Mas em uma região que foi dominada por otomanos, britânicos e turcos, é impossível não notar uma forte mistura de culturas de vários cantos do globo.

Fonte: CORREIO BRAZILIENSE

Ilha Dividida

Até 1878, quando os britânicos assumiram o território, o país recebeu gregos e árabes e passou pela mão dos romanos, venezianos e otomanos. Além disso, o Chipre serviu de base para o movimento das Cruzadas.

Durante a administração britânica, comunidades de origens gregas e turcas entraram em conflito. A população grega queria a anexação à Grécia, sofrendo oposição turca. A resolução do conflito só veio com a independência do Chipre, em agosto de 1960.

O período de paz não durou muito tempo. Em 1974, greco-cipriotas tentaram um golpe de Estado, favorável à anexação do país à Grécia. Em resposta ao movimento, a Turquia tomou a parte norte da ilha, alegando uma operação de paz. A população do país foi expulsa de mais de 30% do território, que passou a ser chamado de República Turca de Chipre do Norte, Estado reconhecido apenas pela Turquia. A Linha Verde, que separa a ilha até hoje, é patrulhada por tropas turcas, gregas e pela ONU.

Fonte: CORREIO BRAZILIENSE

UM GIRO PELA CAPITAL

Nicósia é a única cidade da União Europeia que ainda se encontra dividida em duas. A capital cipriota é separada pela Linha Verde, uma zona-tampão controlada pela ONU e por tropas gregas e turcas. A “Zona Fantasma”, que pode variar de 20 metros a 7km de largura, é cheia de sucatas de carros, bares e casas abandonadas; até o aeroporto está dentro da área interditada.

É próximo à Linha Verde que está a Cidade Velha de Nicósia, um centro murado onde estão as atrações mais interessantes. Observe a cidade do alto do museu e observatório Shacolas Tower. Além de aprender sobre a história, aproveite a vista panorâmica. A cidade é cheia de igrejas. Visite, pelo menos, o Templo Sagrado de Faneromenis e a Catedral de São João. Valem a parada.

Construído em 1567 pelos venezianos, o Portão de Famagusta é uma das três entradas para a murada Cidade Velha. Hoje, o monumento é um centro cultural e recebe exposições de arte.

Fonte: CORREIO BRAZILIENSE

Contato

Contate-nos

pt Portuguese
X